FB_init

Tuesday, April 14, 2009

Mark Driscoll - parte 1

Tradução: Fé Natábua

Brad Cecil escreve em http://axxess.org/?p=80:

'Eu acho que o neo-calvinismo é covarde e fraco! Apenas vai na carona de líderes inteligentes que foram teólogos brilhantes, visionários, e instigantes para seu tempo - mas hoje, nem tanto.

Minha opinião é que a falha de pressuposições filosóficas/teológicas causaram esta volta ao "calvinismo" à medida em que as pessoas buscam o conforto do conceito evangélico retorcido de "soberania" que existe nesse círculo. Neo-calvinismo é um desperdício - o calvinismo clássico foi construído sobre uma hermenêutica da aliança e pelo menos continha um "mandato cultural"; neo-calvinismo é construído sobre uma hermenêutica dispensacional e não tem nenhum mandato. Neo-calvinismo é barato, fácil e um zero à esquerda e não tem nada de "fiel às escrituras"como frequentemente afirmam.'

4 comments:

Matheus said...

gostaria de melhores explicações de porque o camarada acha que " Neo-calvinismo é um desperdício - o calvinismo clássico foi construído sobre uma hermenêutica da aliança e pelo menos continha um "mandato cultural"; neo-calvinismo é construído sobre uma hermenêutica dispensacional e não tem nenhum mandato." ! Afinal que que ele quer dizer pro tras dessas palavra enigmáticas? Será que não existe mandato cultural em Francis Schaefer?

Gustavo K-fé said...

Fala, Matheus!
Não sou Brad Cecil. O ideal seria perguntá-lo. Posso apenas especular. Especularia que enquanto "neo-calvinismo" é geralmente associado ao holandeses, nesse contexto inclui Mark Driscoll, que é ("muito") americano. Especularia que Schaeffer foi o último dos teólogos modernos e não foi pós-moderno. Portanto no meu pouco conhecimento histórico não penso que Cecil estaria incluindo Schaeffer, mas Driscoll.

abraços!
K-fé

Matheus (BH - Caverna) said...

Olá Gustavo,
Na verdade o questionamento era diretamente ao autor do artigo, mas gostaria de saber sua opinião tmb hehe. Mesmo porque do artigo de cecil so foi postado as criticas contra o neo-calvinismo.
Sobre Schaeffer ser teólogo moderno ,não sei se ele era moderno (e talves seja complicado classifica-lo como teólogo). Na verdade a própia apologética pressuposicionalistas de Schaefer rejeita os argumentos modernos, ao sugerir que Deus não pode ser provado pelo racionalismo. Embora concorde que ele tenha alguns aspectos da modernidade.
Sobre as bases teóricas do Neo-calvinismo (os holandeses que vc citou), que inspira Scharfer, o grande formulador da filosofia neo-calvinista é Herman Dooyeweerd (ele sistematizou aquilo que Kuyper propos e realizou). E definitivamente Dooyeweerd é totalmente anti-moderno, existe até alguns cavinista que não gostam dele por o julgarem pós-moderno, embora a melhor definição para alguns é que ele seja um para-moderno (hahaha que doidera né), visto que não se entrega aos principais pressupostos da pós-modernidade.
Para uma boa referencia sobre neo-calvinismo, e tentar entende-lo melhor, recomendo o blog do Gulherme de Carvalho (da L Abri Brasil) http://guilhermedecarvalho.blogspot.com/search/label/Neocalvinismo

Abraços !!!

Gustavo K-fé said...

Matheus, muito obrigado pelos esclarecimentos. Parece haver um conflito no termo "neo-calvinista" quando se refere ao Mark Driscoll. O artigo original é da revista Times. Não tive tempo de lê-lo. Parece que no artigo o termo, que deve ser interpretado como 'novos calvinistas' (new-calvinists) em vez de 'neo-calvinistas' de forma livre - é usado para falar sobre uma nova vertente conservadora dos Reformados nos EUA, em contrapartida aos liberais ali.
Quanto a Schaeffer, li rapidamente o artigo na Next Wave:
http://www.next-wave.org/dec99/francis_schaeffer.htmPor isso citei-o como o "último teólogo moderno" e não pós-moderno.

Abraço cavernoso!
Gustavo K-fé