Friday, November 28, 2008

Variações da Parábola do Bom Samaritano - III

10 - 30 Um corinthiano estava descendo para o Parque São Jorge. No caminho alguns ladrões o assaltaram, tiraram a sua camisa, bateram nele e o deixaram quase morto.

10 - 31 Acontece que um pastor corinthiano estava descendo por aquele mesmo caminho. Quando viu o homem, tratou de passar pelo outro lado da rua.

10 - 32 Também um médico corinthiano crente passou por ali. Olhou e também foi embora pelo outro lado da rua.

10 - 33 Mas um palmeirense que estava indo ao jogo por aquele caminho chegou até ali. Quando viu o homem, ficou com muita pena dele.

10 - 34 Então chegou perto dele, limpou os seus ferimentos. Depois disso, o palmeirense colocou-o no seu próprio carro e o levou para o hospital, onde ficou com ele.

10 - 35 No dia seguinte, pagou a conta do hospital, dizendo: — Tome conta dele. Quando eu passar por aqui na volta, pagarei o que vocês gastarem a mais com ele.

10 - 36 Então Jesus perguntou ao mestre da Lei: — Na sua opinião, qual desses três foi o próximo do homem assaltado?

10 - 37 — Aquele que o socorreu! — respondeu o mestre da Lei. E Jesus disse: — Pois vá e faça a mesma coisa.

(leia também a primeira e a segunda variações)

Commerce Server 2007 code name "Mojave" Prévia Comunitária da Tecnologia Disponível

Commerce Server 2007 code name "Mojave" Prévia Comunitária da Tecnologia está disponível para baixar do site Connect da Microsoft.
O Microsoft Commerce Server 2007 Code Name "Mojave" CTP de Novembro de 2008 está disponível para download do site Connect da Microsoft.

Mojave contém atualizações da nova API de base para comércio, bem como uma galeria completa de 29 novas Web Parts para usar com SharePoint, e uma versão inicial do Site Default sem layout contendo a maioria das Web Parts. Também estão incluídos exemplos de como começar com a API e um conjunto grande de documentação. Veja a documentação e o arquivo readme no lançamento para uma lista completa das mudanças.
Leia aqui e aqui.

Wednesday, November 26, 2008

How Not To Feel Pain At The Dentist

Before my last visit to the dentist, I wanted to know the number of the tooth that was hurting. I found out that there was a certain Universal Numbering System . Great! When I got there, I told him that number 3 was hurting. Well, it happens that the Universal system is not so universal. They told me that tooth was number 16. I was confused, because I thought that if it were number '16', the maximum would be 18 since there are 2 teeth after it, and 18 x 2 = 38, but we only have 32 teeth. So I knew something was wrong with the notation. In fact, they told me that this "Universal" system is used in the U.S. but the rest of the world uses the FDI World Dental Federation notation.


Permanent Teeth
upper left upper right
16 15 14 13 12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1
17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32
lower left lower right

upper right upper left
18 17 16 15 14 13 12 11 21 22 23 24 25 26 27 28
48 47 46 45 44 43 42 41 31 32 33 34 35 36 37 38
lower right lower left

(As you can see, right and left are mirrored in the tables)

Since I like Math, I began to search for an injective function from the Universal number to the FDI. So let's begin.

The FDI divides the teeth in quadrants. The quadrant may be given by

So we multiply it by 10 to shift the number left

Sometimes the numbers increase in the quadrant, other times they decrease. So we need to alternate by quadrant:

For odd quadrants let's pick the constant 8. And for even quadrants, the constant zero:

Now let's have something varying up and down:

Now to get the unit in the FDI system, from 1 to 8, we use the expression:

So, for the final formula we have:

Next time you go to the dentist, just try to reconstruct the formula to take your mind off the pain.

Tuesday, November 25, 2008

David Grossman speaks about language

David Grossman, interviewed at CBC's Writers and Company program 23 November 2008.
(Hear excerpt here: )

(David Grossman) - [...] one of the first things that is being forged and manipulated is the language. It is the first interest of the government, of the army also of the media by the way to manipulate the language, to create a false language, a whitewashed language. I called it in "The Yellow Wind" the landry of language. The way in which phrases and reality that are too difficult to contain, they are too contrary to what we want to think of ourselves. And there's a whole machinery of forging a language that we buffer between the citizen and what his government is actually doing. And I think in such reality it is so tempting to join this language of the choir. I believe since I started to write that writers are people who by nature they feel claustrophobic in other people's words. they just ... it's physical suffocation or even disgust. I don't want to speak the language of others.

(CBC interviewer) - One of your characters Aron in the book of intimate grammar feels he can't use words that other people have used. He needs to purify them by not saying them aloud for seven days. And then he has a little cerimony....

(David Grossman) - He created for himself a new brain under his heart. And he created a hospital for sick words. He absorbs words that come to him from the outside - from the radio, from conversations that he eavesdrops, by his parents , by people on the street - he takes these words that people are saying - you know, off-handendly, without thinking differently, and he purifies them in a very complicated process. And only when they are purified he feels entitled to utter them. They are his now, as if he calls them by their private name.


Monday, November 24, 2008


"Technological innovation accounts for more than half of economic growth in OECD countries.
[...] Although Canada ranks high against its competitor nations when it comes to funding university research in its beginning stages, 'it is far from clear whether these investments in academic research are bearing fruit in terms of improved business performance and productivity'"
- Joanne Laucius, The Ottawa Citizen, 24/Nov/2008

All too often research in universities go on to solve artificial problems. All too often these problems maintain an egocentric elite of researches and professors inside the universities. Turning knowledge into business, or more specifically, turning good ideas into fruition in society is the opposite of academic research in my experience.


Why does this magazine cost 4 times more to Canadians?

Friday, November 21, 2008

One negative aspect of liberalism in Canada

One negative aspect of liberalism in Canada is the belief that the individual is the center of everything, and that all things should serve the individual. It's like the couch potato, who needs fries with ketchup and vinegar pronto. It's a crying baby. It's a person trying to avoid responsibilities. These folks know no hardship. They should enlist in the army (oops, now I'm a Mennonite pacifist, so no army please)

Thursday, November 20, 2008

Real world software engineering - X

Regarding software delivery:
Do not push too hard the fart or you may shit your pants.

A respeito da entrega do software:
Não force o pum senão vai dar cagada.

Wednesday, November 19, 2008

My daily Microsoft frustration - III

Visual Studio 2008 and IIS 7 are not getting along today. I think IIS became a zombie, like in a horror movie. It comes to haunt you in a nightmare.

Monday, November 17, 2008

Real world software engineering - VIII

In Real World Software Engineering, one may create code keeping in mind that the stuff may have multiple uses in different scenarios. Instead of closing the door to infrequent scenarios, why not allowing the developer to include other basic functionality - perhaps even unsupported - so that customers can apply the software where it is useful? I get upset when I want to use software that has very strict functionality and it doesn't work for me (I'm usually trying something complex... that doesn't work until I 'bend' the software).

Friday, November 14, 2008

Igrejas emergentes na Coréia do Sul

O livro "Emerging Churches: Creating Creating Christian Community in Postmodern Cultures" de Eddie Gibbs e Ryan K. Bolger acabou de ser traduzido para Coreano e lançado na Coréia do Sul.
Veja a capa:

De acordo com Ryan Bolger - co-autor do livro - podem haver até 20 igrejas emergentes em Seul, todas com menos de 2 anos.
(Já ouvi comentários de que a igreja emergente não tem a ver com a realidade brasileira. Eu discordo. Não conheço outra conversa que insira a cultura local tão diretamente na teologia.)

Participe da campanha para traduzir o livro para Português!


No title

Let me escape from unbearable realities. Help me create illusions and myths that bias the surrounding. Help me rewrite the stories. Who does not need a daily dose of bullshit?

Thursday, November 13, 2008

Christian religions and identity

More and more I realize that one of the things that shakes Christian religions is the question of identity. Posing questions about identity is like poking a nest of wasps. It is to ask for trouble.

Tuesday, November 11, 2008

Entrevista con Tomás Yaccino, La Red del Camino

Entrevista en Español

Tom e Dee Yaccino têm trabalhado em ministérios multiculturais e de transformação desde os anos 80. Depois de completarem Mestrado em Estudos Interculturais com ênfase em Desenvolvimento Comunitário e Educação Adulta Informal, trabalharam como missionários com o Comitê Central Menonita no interior da Bolívia.
Em 1995 eles começaram a trabalhar com a Willow Creek Community Church para liderar o desenvolvimento dos ministérios internacionais da Willow Creek focando em parcerias na República Dominicana.

A Rede do Caminho (La Red del Camino) nasceu com um grupo de amigos de várias comunidades missionais no Caribe, América Latina e América do Norte. É um movimento de uma rede de igrejas que praticam a missão integral. A Missão Integral é uma das teologias mais importantes entre os evangélicos na América Latina.

Na entrevista, Gustavo Frederico faz uma série de perguntas a Tom sobre o que é a Missão Integral, e como a igreja pode se envolver com o mundo. Eles também cEntronversam sobre as formas de medir 'sucesso' de igrejas e liderança. Tom descreve alguns exemplos práticos de igrejas que interagem com a comunidade lidando com uma série de problemas. Um exemplo é a Igreja do Caminho, de Curitiba.

Entrevista originalmente publicada no site Renovatio Café

Saturday, November 08, 2008

Ônibus 174, o filme / Bus 174, the movie

"Um dos mais bem realizados documentários brasileiros dos últimos anos, Ônibus 174 conta a história de uma tragédia anunciada, que foi acompanhada em tempo real pela televisão em todo o Brasil. No dia 12 de junho de 2000, Sandro do Nascimento seqüestrou um ônibus no Rio de Janeiro e manteve várias pessoas dentro do veículo sob a mira de sua arma. Após horas de tensão, que mobilizou não só a polícia, mas também o circo da imprensa, o episódio culminou com a morte de um inocente e com a do próprio Sandro. Mas o filme vai muito além de explorar o complexo seqüestro, fazendo uma verdadeira dissecação da violência e de suas causas e conseqüências na sociedade brasileira. Para tal análise, o documentarista José Padilha se vale de depoimentos de amigos e parentes de Sandro, de reféns, de policiais que participaram da ação e de sociólogos. Uma das maiores qualidades do filme é nunca cair num tom moralista, simplesmente expondo os fatos de forma jornalística. Cria-se assim um suspense natural, quase aterrorizante. Alguns dos depoimentos chegam a assustar, como o de um assaltante amigo de Sandro, que analisa friamente a situação e diz que o rapaz poderia ter comprado uma granada na favela ou que poderia ter ateado fogo numa das vítimas. Dessa forma, Ônibus 174 levanta questões pertinentes à caótica sociedade brasileira, na qual imperam as desigualdades sociais que geram abismos sócio-econômicos. Ônibus 174 atesta que a realidade assusta bem mais do que a ficção.
Pergunta no filme: "Quem vai se importar com o Sandro? Ninguém."
Question in the film: "Who cares about Sandro? Nobody."

Friday, November 07, 2008

Sarna pra me coçar (pode comentar)

Amigos e amigas, procuro sarna pra me coçar.
Tenho algumas idéias e gostaria de ler seus comentários. Podem deixar comentários aqui no blógue, ou podem me mandar por email.
As viagens:
1- Secretária Eletrônica Emer-gente no Skype. A pessoa liga com o Skype e deixa seus comentários ou perguntas na secretária eletrônica e o K-fé ou o Pajé Raoni comentam a coisa. De repente mais genérico que "igreja emergente", tipo Analista de Bagé sobre igrejas. Pra virar podcast (possivelmente em colaboração com um site existente)
2- Chiklésia: guia de estudos e prática para Adolecentes
3- Livro: comentários de um dos evangelhos (em colaboração com outros amigos)
4- Semi-nário (preciso de um nome legal. Sêmen-ário? Seminário Virtual Casa da Mãe Joana? Até parece meio Umbanda... II Bangu 1.16? ) Conteúdo em wiki e no youtoube. Acompanhamento por email (ou MSN se alguém quiser ajudar com tempo. Ou Skype.)
5- Façade/front-end com o Del.icio.us, para catalizar a comunicação na conversa emergente.
6- Livro: Liturgias Culinárias, comendo o sacro e o profano.

Votem, comentem!


Chiklésia: a igreja de amanhã

Chiklésia, uma mistura de chiclete com ekklesia (igreja em Grego). A Chiklésia é brega-chique, artística, pra-frentex. Adolescentes: repensem a igreja de amanhã. Precisamos das suas ajudas.

Como disse Tom Sine, temos adolescentes criando sites, e enquanto isso continuamos dizendo a eles quando sentar e quando levantar no culto. Me lembro da entrevista do ex-hacker mafiaboy de Montreal, que começou a usar o computador com 8 anos, e hackeou os sites da Dell, CNN, Yahoo, e-Bay e e-Trade com 15 anos.

Adolescentes, o mundo é de vocês. Sonhem com a Chiklésia.

Tuesday, November 04, 2008

My daily SharePoint frustration - XIV

Error: I can't get xsxsl extension to work within DataFormWebPart's XSL:

Error while executing web part: System.Xml.Xsl.XslTransformException: Execution of scripts was prohibited. Use the XsltSettings.EnableScript property to enable it.

...em.Xml.Xsl.XmlILCommand.Execute(IXPathNavigable contextDocument, XmlResolver dataSources, XsltArgumentList argumentList, XmlWriter results) at System.Xml.Xsl.XslCompiledTransform.Transform(IXPathNavigable input, XsltArgumentList arguments, Stream results) at Microsoft.SharePoint.WebPartPages.DataFormWebPart.ExecuteTransform(XslCompiledTransform xslCompiledTransform, XsltArgumentList xmlArguments) at Microsoft.SharePoint.WebPartPages.DataFormWebPart.PrepareAndPerformTransform()

No resolution.