FB_init

Wednesday, January 07, 2009

Falsos inimigos: Instituição

Artigo originalmente publicado no Renovatio Café:

http://www.renovatiocafe.com/index.php/Artigos/Brasil/Falsos-inimigos-Instituicao.html


"
O inimigo neste caso é a Igreja Instituição. Esta idéia de instituição estaria associada à burocracia derradeira, à centralização de poder decisivo, à vivência em função de si, ao fluxo nebuloso de dinheiro, a estruturas sem vida desconexas da realidade e à apatia às pessoas. Essas imagens certamente são ruins. Mas não podemos tão automaticamente associar uma idéia de instituição com esses problemas.

O termo "instituição" pode ser usado de diferentes formas. Assumamos que uma instituição é, de forma genérica, um fundamento, um estabelecimento, uma criação. Nesse sentido existem vários exemplos de instituições. O casamento é um exemplo. O Congresso Nacional é outro. Notemos que instituições nessa discussão incluem pessoas. Depois incluem também estruturas e processos.

Entendo grande parte das pessoas que são contra a Igreja Instituição. Mas temo que a expressão e a idéia sejam abrangentes demais para concordar com elas.

Lembremos das palavras de Jesus:

"[...] sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e nem a morte poderá vencê-la. " Mateus 16.18 b

Portanto,

- A Igreja é de Jesus

- Jesus é quem a constrói

Mesmo que uma pessoa esteja em um estágio da caminhada da fé em que não acredite em igreja instituição (e eu entendo bem essas pessoas), aconselho que tome cuidado com a forma de criticá-la. Por maiores que sejam os defeitos que tenha essa instituição, ela e o crítico fazem parte da mesma Igreja Universal.

Eu particularmente acredito que na prática não tem como uma igreja local não ser uma instituição. Mesmo que esta "igreja" seja a coisa mais simples do mundo, para mim já é inerentemente instituição. Mesmo que esta "igreja" tenha o formato mais diferente e alternativo que alguém consiga imaginar.

Por outro lado, entendo que muitas instituições cristãs incluindo denominações, organizações paraeclesiásticas e igrejas necessitem de uma profunda reforma. Ao ouvir esses irmãos e irmãs que se dizem ser contra as instituições, simpatizo com elas sabendo que igrejas construíram muitas coisas supérfluas, e que uma espécie de megalomania criou monstrengos, e abusou da fé de várias pessoas inocentes. Ergueram Torres de Babel. O lado engessado, lento, e apático dessas instituições está em tensão com a realidade pós-moderna na sociedade brasileira. Esta reforma não será trivial nem instantânea, mas julgo que será necessária. Pessoas dizendo que "são contra a instituição" é um dentre vários outros sintomas.

Finalmente, lembremos que a presença de Jesus é garantida quando dois ou três estão juntos em seu nome:

"Porque, onde dois ou três estão juntos em meu nome, eu estou ali com eles." Mateus 18.20

Para refletir e debater:

- O que mais além de estar reunidos em nome de Jesus é preciso para um grupo de pessoas ser considerado igreja?

- O que mais além de estar reunidos em nome de Jesus é preciso para um grupo de pessoas ser considerado instituição?

- O que Jesus quis dizer com vinho novo em odres novos (Mat 9.17)?

- Como seria a igreja que você, com a ajuda do Espírito Santo, plantaria entre índios brasileiros?

- Como seria a igreja que você, com a ajuda do Espírito Santo, plantaria entre tribos urbanas?

"

1 comment:

Lion of Zion said...

Sinceramente confesso que já fui muito anti-igreja-instituição, como alguém que se sentiu lesado de alguma forma e que depois que recobrou os seus sentidos quis cobrar justiça.

Só que o que fica é só um justicerismo virtual que não causa nada.

Denunciar desmandos e deformidades ideológicas, teológicas ou liturgicas até creio ser válido.

Agora o que invalida qualquer argumento anti-igreja é o própio radicalismo e generalização que acomete algumas pessoas.

Creio que os fim das igrejas intitucionais (termo que nem costumo usar mais) não trará nova luz ao cristianismo.

Detesto ver pessoas tratando outras que estão na igreja como mediocres ou simplesmente burras e alienadas, sendo que com isso caímos no mesmo erro daqueles que estão dentro de algumas igrejas e chamam de mundanos os que estão fora.