FB_init

Sunday, April 15, 2012

Moral paradoxal


Fumar parece-me ser um bom exemplo para pensar sobre "pecado". Eu sempre ouvi o famoso argumento 'bíblico' de que fumar era pecado porque fazia mal ao "templo do Espírito", que é o nosso corpo. Contudo, se a preocupação com a saúde do corpo fosse assim tão grande, os evangélicos deveriam condenar também a Coca-cola, o açúcar branco e a carne com gordura. E se os evangélicos se preocupassem genuinamente com o corpo de seus fiéis, trabalhariam para melhorar o sistema público de saúde. Mas não fazem isso, e tudo indica que o blá-blá-blá é deveras hipócrita: não se preocupam tanto assim com o corpo de seus fiéis.
  Eu não fumo e tenho consciência de que fumar faz mal à saúde. Assim como Coca-cola, açúcar branco e carne com gordura. 
   Na ressignificação de "pecado" penso em um suspiro por uma condição humana auto-destrutiva. (E essa ressignificação não é religiosa a priori, mas a posteriori) Imagino que o suspiro de quem fuma ciente dos males que causa à saúde não seja dessemelhante ao suspiro de muitos evangélicos nos dias de Natal em que se enchem de comida. 

2 comments:

Guilherme R Basilio said...

A Mt 5:20 é sábio agregar Jó à exegese... "Quem da imundícia poderá tirar coisa pura? Ninguém!" e, mais adiante, "Nossos julgamentos são como trapos de imundícia (o absorvente menstrual de então)"

Famílias do Monjolo e de tantos outrosa locais iluminadas pelo "gato". As tantas, tantíssimas casaas no entorno de linhas de transmissão e subestações de energia elétrica, de estações de rádio refulgindo lâmpadas fluorescentes sem fio, só na energia eletronagnética... das torres e antenas

Uma igrejícola neopenteca em Copacabana orando em ações de graças pelo trabalho novo do irmãozinho e sua esposa e filhos: ele, sacoleiro paraguaio, o resto da família camelôs da muamba. Eu estava lá e orei junto e em lágrimas, menos pelo negócio familiar e muito mais pela nova amplitude e compreensão da ética cristã que para mim ali se abriu e consolidou. A teoria virou prática...

Atire a primeira pedra quem puder dizer que nunca furtaria (ou muambaria) para alimentar a família.

Prefiro atirar várias pedras nos palácios dos fariseus...

Gustavo K-fé said...

POR GUILHERME:
A Mt 5:20 é sábio agregar Jó à exegese... "Quem da imundícia poderá tirar coisa pura? Ninguém!" e, mais adiante, "Nossos julgamentos são como trapos de imundícia (o absorvente menstrual de então)"

Famílias do Monjolo e de tantos outros locais iluminadas pelo "gato". As tantas, tantíssimas casas no entorno de linhas de transmissão e subestações de energia elétrica e de estações de rádio refulgindo a glória eterna de lâmpadas fluorescentes ***sem fio*** (ÔÔÔÔ Glória), só de carona na energia eletromagnética... das torres e antenas (não é sarcasmo... não fosse essa bênça e até hoje esse povaréu todo estaria sem luz.

Uma igrejícola neopenteca em Copacabana orando em ações de graças pelo trabalho novo do irmãozinho e sua esposa e filhos: ele, sacoleiro paraguaio, o resto da família camelôs da muamba. Eu estava lá e orei junto e em lágrimas, menos pelo negócio familiar e muito mais pela nova amplitude e compreensão da ética cristã que para mim ali se abriu e consolidou. A teoria virou prática...

O traficante convertido que (1) quer entregar seu dízimo, que (2) quer um emprego "legal", mas a comunidade não dá pra não se nindispor com os ex-patrões querem queimar o arquivo.

Atire a primeira pedra quem puder dizer que nunca furtaria (ou muambaria) para alimentar a família. Atire a primeira pedra quem consegue assistir isso sem a flexibilidade moral que o Cristo nos dá como exemplo.

Prefiro por o anel de tucum ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Anel_de_tucum ) no dedo e atirar várias pedras nos palácios dos fariseus...