FB_init

Monday, February 04, 2008

Enquanto os crentes se "escondem" em retiros...

"Carla Perez não abandona Jesus nem no carnaval
Cantora se emocionou em cima do trio elétrico. ECAD ameaçou embargar o bloco caso não recebesse pagamento por direitos autorais.
Lígia Andrade Do EGO, em Salvador entre em contato



Globo.com
Supercolorida, Carla Perez atriu milhares para acompanhar o bloco


Carla Perez já provou que é uma das fiéis mais dedicadas do rebanho do Senhor. E nem no carnaval ela deixa Jesus de lado. À frente do bloco infantil Algodão Doce, a loira partiu do circuito avenida, no bairro de Campo Grande, em Salvador, levando com ela milhares de foliões, na manhã deste sábado, 02.

Logo que subiu ao trio os olhos da cantora se encheram de lágrimas. Carla ficou emocionada porque o bloco saiu sem problemas. É que o ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) ameaçou embargar o trio caso não recebesse o pagamento de R$ 50 mil referente à direitos autorais. Em uma reunião a portas fechadas, o assunto foi resolvido na sexta-feira. "Não tenho dúvida de que tudo que está acontecendo aqui é a honra e a glória daquilo de excede qualquer coisa na vida, Jesus", disse ela. "Vocês ouviram boatos de que o Algodão Doce não sairia hoje. Creio que o Deus que eu sigo é fiel. Deus é fiel ou não é?", perguntou, e o povo sem demora respondeu em coro, "éééééééé".
"
Fonte: EGO (Globo.com)

Enquanto os crentes se "escondem" em retiros no carnaval, Carla Perez fala de Jesus. Se não tivesse sido ela, quem teria falado de Jesus para aquele bloco? As reações de alguns crentes no Orkut foram de ironia quanto a ambiguidade da Carla Perez estar no carnaval e falar 'evangeliquês'. Fico pensando por quê crentes buscam tanto o monopólio da interpretação e 'exercício' de Jesus. Às vezes parece que só as manifestações sancionadas pela igreja são expressões da graça e do Reino. Me lembra João proibindo outras pessoas de expulsar demônios no nome de Jesus porque não faziam parte do grupinho.

Marcos 9.38-40
"João disse: — Mestre, vimos um homem que expulsa demônios pelo poder do nome do senhor, mas nós o proibimos de fazer isso porque ele não é do nosso grupo. Jesus respondeu: — Não o proíbam, pois não há ninguém que faça milagres pelo poder do meu nome e logo depois seja capaz de falar mal de mim. Porque quem não é contra nós é por nós. "

Eu gostaria que a maioria das igrejas participassem do carnaval. Mas já que não querem, não precisa também jogar pedra na pessoa que fala de Jesus lá, né mesmo? Interessante a concepção da jornalista. "Carla Perez não abandona Jesus nem no carnaval". Uau! Nem no carnaval! Como se o carnaval fosse o extremo oposto do que tem a ver com Jesus.

A tempo, dei uma lida no histórico da Carla Perez na Wikipédia. O blog oficial da Carla Perez começa com um "Jesus te ama", e está cheio de "Deus" e "Jesus" (às vezes exagerando no evangeliquês, irmã Carla. Deve ser a companhia. Tadinha, também que outra linguagem ela iria usar?)

7 comments:

Thiago Mendanha said...

Concordo contigo em número, gênero e grau... É como estavamo conversando aquele dia; os crentes costumam separar a vida em partes: momentos sagrados e momentos não sagrados (profanos). Que bom que a irmã, Carla Perez teve uma percepção muito mais avançada!
Abraços, Gustavo...

Rev. Giovanni C.A. de Araújo said...

Nota: historicamente o carnaval é o avesso de Jesus. A origem remonta aos Gregos no século VI a.C. Já na era cristã, a Igreja levou quase 7 séculos para oficializar a festa, que conseguiu seu espaço por pressão popular. Assim, instituida antes da quaresma, período em que a Igreja reflete sobre a vida de Cristo. O carnaval é avesso a Jesus pois é a "festa da carne". Seria como que um dia reservado para se realizar todos os "pecados", inclusive os da "carne". Por isso seu fim é na quarta-feira de cinzas, lembrando que cinzas simboliza arrependimento.

Basílio said...

Gustavo,

A Carla Perez fala de Jesus nesse bloco? Não pareceu pelo site dela. Se fala, fala mesmo ou apenas "Jesus te ama"? Na minha opinião não é a mesma coisa. Aliás, o negócio que ela disse: "Vocês ouviram boatos de que o Algodão Doce não sairia hoje. Creio que o Deus que eu sigo é fiel. Deus é fiel ou não é?" é muito neo-penteca para o meu gosto... Parece o Diante do Trono.

Outra coisa, não entendi sua citação de Mc. 9. São duas coisas bem diferentes. Ali se tratava da "reserva de mercado". Não sei o contexto em que as pessoas falaram mal dela, mas não acredito que seja "Ela não é da nossa igreja e por isso não pode pregar!", o que seria um contexto parecido com o de João.

Para terminar, não vejo nada de errado em as pessoas irem a retiros. Depende dos anseios e da maturidade de cada um. Não vejo isso necessariamente como uma separação entre "sagrado e profano". Eu particularmente nunca fui, pois preferia ficar com minha família, mas nunca fui contra. Aliás, para muita gente é a única chance que eles têm de tirarem umas férias.

Um abraço

Gustavo K-fé said...

Conforme a citação ela disse "Não tenho dúvida de que tudo que está acontecendo aqui é a honra e a glória daquilo de excede qualquer coisa na vida, Jesus". Isto pra mim é falar de Jesus. Não é falar do plano da salvação como concebemos. Concordo, só foram citados chavões neo-pentecostais. Mas aí também já é esperar muito, né?

Basílio said...

Gustavo, we agree to disagree!

Analise o contexto. A Carla Perez é dona do bloco. Ela faz dinheiro com isso. Aí ela diz "tudo que está acontecendo aqui é A honra e glória d[e Jesus]" (note que ela não diz que é PARA a honra de Cristo, é A honra de Cristo). Além de ser de uma obviedade imensa (toda a criação existe em Cristo e por isso é a "honra" de Cristo), para mim isso é mais próximo da teologia da prosperidade que do evangelho de Cristo. A "fidelidade" de Deus foi referente à solução de dívidas de carnavais passados (http://www.tvcanal13.com.br/noticias/carla-perez-chora-e-agradece-a-deus-antes-de-subir-no-trio-13554.asp). Acho que isso não demonstra a fidelidade de Deus, mas sim Sua misericórdia. E, para mim, isso não é falar de Cristo.

Para mim, falar de Cristo não é só expor o plano da salvação ou dar glórias a Deus, mas levar a pessoa a pensar em sua relação com Jesus. Até mesmo, sem palavras, desfazendo estereótipos de como a vida cristã deva ser vivida (apenas dentro da igreja em eterna contradição com o "mundo", onde mundo é entendido como tudo o que está fora da "igreja"). Mas concedo que haja interpretações diversas. Eu utilizo "falar" no sentido mais usual do termo na comunidade cristã, onde o falar não se separa das intenções e motivações do falante. Se por falar, você quer dizer apenas transmitir uma mensagem (abstrata ou concreta), aí é outra coisa. Por essa lógica, os Hernandes também "falam" de Cristo. O que também tem suporte bíblico. É só ler Filipenses 1 ("Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei."). Mas veja que Paulo não elogia os pregadores ("...aqueles, contudo, pregam a Cristo, por discórdia, insinceramente...") que assim falam.

Deixo claro que não duvido da conversão da Carla Perez e dou graças pela sua vida. Também não acho que ela se compare aos Hernandes (pelo amor de Deus, não me entenda mal). Mas não concordo com o tom do seu post. Principalmente o fato de você contrapôr a atitude dela com a dos crentes que vão a retiros. Lembre-se de que ela está trabalhando. É a mesma coisa de dizer que enquanto os crentes se trancam nas igrejas no natal, um irmãozinho que é motorista de ônibus está lá, na labuta, falando de Cristo, do verdadeiro natal, para os passageiros perdidos... Tudo tem o seu valor.

Um abraço.

Roberto Aguiar said...

Gustavo, K-fé é essa? Salada mista evangélica? Há...Já sei é a fé ao gosto do freguês.

Anonymous said...

Carla Perez crente??? onde??? Eu nunca vi crente participar de carnaval!